Como dirigir carros com câmbio automático?

Ao passar dos anos, a indústria automobilística dava provas de que a evolução de produto experimentaria muitas transições, sobretudo, influenciadas por novos paradigmas de produção, demandas de mercado e tendências de tecnologia.

O horizonte confirmava as grandes evoluções ao aprimorar continuamente o produto em busca de um padrão ideal, mesmo que, a depender do expectador, isso soasse subjetivo.

Em 1904, os irmãos Sturtevant, residentes em Boston, Massachusetts, nos Estados Unidos, criaram um dos primeiros protótipos do câmbio automático. Quanto ao invento, não existem muitas informações e detalhes sobre a criação, somente que possuía duas marchas acionadas por contrapesos ligados ao motor.

Dadas as tecnologias disponíveis na época, não era possível levar o protótipo as linhas produtivas por um simples motivo: não existiam tecnologias e componentes que viabilizassem a produção, sendo assim, falhas eram frequentes.

Contudo, somente em 1923, um canadense chamado Alfred Horner Munro, patenteou o câmbio automático, componente esse que usava ar comprimido para acionar as marchas, todavia, o sistema estava a frente da sua época e sua produção ainda não era viável para ser aplicada em massa.

Há inclusive quem diga que um brasileiro foi o inventor do câmbio automático. Entretanto, por falta de provas e maiores relatos, não entraremos nessa discussão, ainda que a história demonstre a criatividade inventiva do brasileiro.

Em um curto espaço de tempo, situado entre o fim da década de noventa e o inaugurar do novo século, os automóveis começaram a sofrer grandes transformações, passando a ocupar um novo espaço na vida da sociedade, possuir novas funções sociais e logísticas.

Por isso, no artigo de hoje falaremos sobre o câmbio automático, mostrando como ele funciona, qual o significado daquelas letras desenhadas ao lado do câmbio e qual a forma correta de utilizá-lo.

Para facilitar sua leitura, dividimos este artigo por tópicos. Assim, você pode ir direto ao ponto que deseja ler. Os tópicos deste artigo são:

  • Como funciona um câmbio automático?
  • Qual o significado das letras encontradas no câmbio?
  • Qual a forma correta de usar o câmbio automático?
  • Utilizando um câmbio automático
  • Ligando o carro
  • Movimentando o veículo
  • Estacionando o automóvel

Esperamos esclarecer suas dúvidas em relação à correta operacionalização deste componente veicular, assim, facilitando sua dirigibilidade ou seu desejo em comprar um carro com esse tipo de câmbio.

Como funciona um câmbio automático?

Os carros automáticos representaram uma grande inovação na indústria, além de um conforto aos clientes e motoristas recém habilitados ou inexperientes , isto é, aqueles que não possuem muita habilidade para “arrancar” um veículo, principalmente em ladeiras.

Esse câmbio, como o próprio nome sugere, realiza a troca de marchas sem a necessidade de utilizar a embreagem, por isso, nesse tipo de automóvel, não existe o pedal de embreagem.

Além disso, para viabilizar a troca automática de marchas sem a interferência do condutor, os veículos com câmbio automático possuem componentes mecânicos específicos, diferentes dos utilizados nos carros de câmbio manual.

Nesse tipo de automóvel são utilizadas engrenagens planetárias e um conversor de torque, componente que substitui o conjunto de embreagem em relação às transmissões manuais.

Qual o significado das letras encontradas nos câmbios automáticos?

Muitos motoristas, ao se assentarem no banco do condutor, se confundem com as letras encontradas ao lado dos câmbios automáticos, certamente, por não saberem o que significam.

Basicamente, as letras que todo carro com câmbio automático possui, são:

N – Neutro (equivalente ao ponto morto nos carros com câmbio manual)

P – Parking (utilizado no momento de estacionar o automóvel)

D – Drive (acionado, passa as marchas automaticamente)

R – Reverse (marcha ré)

Essas letras estão presentes em quase todos os carros automáticos mundo afora. Contudo, alguns carros podem apresentar em seus câmbios outras letras, indicando modos de condução mais esportivo, eficiente, econômico e demais funções.

Nossa recomendação é consultar o manual do proprietário e verificar o significado das outras letras, suas funções e a maneira correta de dirigir seu veículo com o câmbio nessas posições.

Qual a forma correta de usar o câmbio automático?

Muitos motoristas sem experiência, por não saberem a forma correta de utilizar carros com câmbio automático, cometem erros que podem comprometer a vida útil desses componentes, isso no longo prazo, causando, inclusive, a quebra desse tipo de câmbio.

Pensado nisso, mostraremos a forma correta de operar um câmbio automático, quais ações devem ser feitas para utilizá-lo e como deve ser o manuseio da alavanca acoplada aos câmbios.

Utilizando um câmbio automático

Para facilitar sua compreensão, exemplificaremos de modo prático e bem simples como deve ocorrer à manipulação deste importante componente veicular.

Contudo, antes de apresentarmos a ilustração é importante destacar que, para realizar qualquer movimento na alavanca de câmbio, é fundamental que o carro esteja parado e que o condutor pise no pedal de freio.

Ligando o carro

Vamos imaginar que uma pessoa, no dia de hoje, visitará algum de seus parentes. Ao entrar no carro, coloca as chaves na ignição, pisa no freio e liga o veículo.

É importante dizer que muitos carros, sobretudo os modelos mais antigos, demandam a ação de pressionar (literalmente pisar, como se estivesse realizando uma frenagem) o pedal de freio para iniciar o funcionamento do automóvel. Os modelos mais novos, normalmente, não requerem essa ação.

Movimentando o veículo

Logo após ligar o carro, para alterar a função motriz, essa pessoa pisa no freio, muda a posição da alavanca do câmbio de “P” para “D” e inicia a manobra do veículo em sua garagem.

Como a garagem é muito apertada, será necessário, também, pisar no pedal de freio mais uma vez e direcionar a alavanca para a posição “R”, dar ré no automóvel e sair da garagem tranquilamente.

Durante o deslocamento, essa pessoa, naturalmente, irá parar em semáforos. Nessas horas, somente será necessário pisar nos freios (frear o carro) sem alterar a posição da alavanca de câmbio, uma vez que, não há necessidade de alterar a posição do câmbio nesses momentos.

Estacionando o automóvel

Após algum tempo, seu destino é atingido. Agora, é o momento de procurar uma vaga. Circulando pelo quarteirão, após algum tempo, a pessoa do nosso exemplo consegue achar uma boa vaga. É hora de estacionar seu automóvel.

Após realizar algumas manobras, o veículo se encontra dentro da vaga. Para encerrar o funcionamento do veículo, quer dizer, desligá-lo, é importante realizar algumas etapas muito simples para garantir a vida útil do câmbio.

A primeira delas é colocar a alavanca de câmbio na posição “N” (ponto morto), puxar o freio de mão do automóvel, esperar alguns segundos até que as rotações do motor se estabilizem e, finalmente, modificar a posição da alavanca de câmbio para a letra “P”.

Dessa forma, o estresse do processo, isso é, a força necessária para manter o carro parado não será realizada pelo câmbio, mas, pelo freio de mão.

Por isso é fundamental realizar esse processo para garantir a vida útil do câmbio automático, além é claro de realizar as manutenções corretamente, como a troca de óleo do câmbio por exemplo.

Conclusão

Os câmbios automáticos representaram uma grande evolução na indústria automobilística, oferecendo ao motorista mais conforto, tranquilidade, segurança e inovação no produto.

Contudo, para usufruir corretamente desse componente, é fundamental aprender a manuseá-lo adequadamente, isso, para garantir sua longevidade e evitar a quebra precoce por erros de operação.

Agora que você aprendeu como funcionam os câmbios automáticos e a forma correta de utilizá-los, descubra tudo a respeito da telemetria veicular, o que é, quais são seus benefícios e como utilizá-la em operações de transporte.

Recent Posts