Depreciação de frota: aprenda como calcular!

Dentro dos custos e despesas de uma operação de transporte, existem alguns gastos sorrateiros, principalmente os invisíveis por serem difíceis de identificar e mensurar. Por outro lado, alguns custos e despesas devem ser acompanhados com bastante critério, pela sua importância para o negócio.

Um bom exemplo disto é a depreciação dos veículos de uma frota. Essa é uma despesa fundamental para a saúde financeira de qualquer organização.

Contudo, nem sempre a depreciação veicular é calculada da forma correta e com a regularidade necessária. Pensando nisso, no artigo de hoje mostraremos o que é a depreciação de frota, como calculá-la e qual é a sua importância.

Hoje falaremos sobre:

  • O que é a depreciação de frota?
  • Como calcular a depreciação?
  • Qual a importância deste cálculo?

O que é a depreciação de frota?

Todas as máquinas e equipamentos que viabilizam a produção em uma empresa, e são de uso recorrente, são considerados bens patrimoniais. Normalmente, esses recursos são utilizados para viabilizar os serviços de uma organização ou produzir um produto.

Contudo, o valor pago na aquisição desses bens, ao longo do tempo e o desgaste provocado pelo uso, implica em perda de valor, e é justamente esse o conceito de depreciação.

De forma conceitual, a depreciação é a perda de valor de um bem. Esse índice é influenciado pelo desgaste natural desse bem, pelo uso, obsolescência ou ação da natureza. Em qualquer uma das hipóteses, o resultado é o mesmo: o valor de venda é menor do que o valor de compra.

No caso dos veículos, algumas pesquisas apontam que a depreciação pode chegar a 20% do seu valor anualmente, considerando-se uma vida útil de 5 anos, apesar de que, no Brasil, essa estimativa de durabilidade fica abaixo da realidade.

Algumas características dos automóveis podem afetar diretamente a depreciação, como o seu país de origem (se é importado ou nacional), a quilometragem, a funcionalidade tecnológica, isto é, se a tecnologia é recente ou está desatualizada, além de outros fatores.

Mas, como se calcula a depreciação de um veículo?

Como calcular a depreciação?

Grande parte dos gestores de frota, assim como o mercado em geral, considera um período de 5 anos de vida útil para um automóvel. Diante disso, para chegar ao valor da depreciação, é necessário:

  • Dividir o valor do carro 0 km pelo tempo médio de uso;
  • Dividir o resultado da equação anterior por 12, para obter o valor mensal;
  • Recorra aos valores da tabela FIPE.

Recomenda-se utilizar os valores da referida tabela, pois, na prática, ela representa melhor a realidade da depreciação, uma vez que a análise considera o histórico de valores registrados desde 2001.

Mas, qual a importância de realizar esse cálculo para um gestor de frota?

Qual a importância deste cálculo?

Entender a dinâmica da depreciação é importantíssimo para o dia a dia de uma operação de transporte, principalmente, se os veículos são próprios. Os “grandes atores” da operação são os veículos, por isso, precisam ser compreendidos em todas as suas nuances.

Calcular recorrentemente os valores da depreciação, por exemplo, lhe ajudarão a tomar decisões estratégicas sobre sua frota, como a substituir veículos mais antigos e já desgastados pelo uso.

Além disso, é possível, ao longo do tempo, incorporar os valores da depreciação nos seus custos de frete, assim, o eventual prejuízo causado por esse índice poderá ser amenizado.

Conclusão

Ao conhecer detalhadamente a depreciação e o que ela representa para uma operação de transporte, os gestores poderão tomar decisões estratégicas e conscientes, além de manter a saúde financeira do negócio em dia.

Agora que você aprendeu mais sobre o que é a depreciação e como calculá-la, descubra tudo sobre a diferença entre os custos diretos e indiretos e qual a importância disso para a saúde financeira da sua operação.

Recent Posts