Falta de sono: como isso prejudica o trabalho dos motoristas de uma frota?

Noites mal dormidas podem ser verdadeiros desastres para qualquer ser humano, principalmente, para aqueles que atuam com transporte, uma vez que necessitam de descanso para exercerem bem suas funções.

Essa questão é tão séria que, a cada ano no Brasil, muitas mortes acontecem em decorrência disso, talvez, este seja um dos fatores que mais ceifam vidas nas estradas em nosso país.

Por isso, no artigo de hoje, falaremos sobre a importância deste aspecto na produtividade e segurança na gestão de frotas, além de apontar soluções que minimizem este tipo de acontecimento.

Abordaremos neste artigo:

  • A privação do sono e suas consequências
  • Como evitar que os motoristas durmam ao volante?
  • Como isso afeta uma organização?

A privação do sono e suas consequências

Dentre as responsabilidades de um gestor de frota, está a saúde dos motoristas, uma vez que, tal fator, está diretamente relacionado à performance dos condutores e, consequentemente, afeta os resultados organizacionais, bem como, o trânsito brasileiro.

Além disso, a privação de sono, pode causar prejuízos para a saúde. Algumas pesquisas, inclusive, comparam os efeitos negativos da ausência de sono com os efeitos causados pelas bebidas alcoólicas, afetando os reflexos dos condutores.

Ademais, a falta de sono causa consequências físicas e biológicas no corpo humano, além do cansaço já esperado. Portanto, é necessário que gestores de frota se atentem para este importante aspecto, tanto como um fator produtivo como de segurança.

Como evitar que os motoristas durmam ao volante?

Através da tecnologia, os riscos naturais derivados do fator humano podem ser minimizados. Nosso software, o iTransport, por exemplo, pode integrar um sensor de fadiga, cuja principal função é alertar o motorista em situações potencialmente problemáticas.

Através de sinais sonoros emitidos pelo sensor, o motorista é avisado sobre seu estado de sonolência por uma análise realizada pelo próprio sensor que é instalado próximo ao assento do motorista, normalmente na altura do rosto do condutor.

Uma vez emitidos os sinais sonoros, um aviso é encaminhado a central de operações que toma outras medidas diante daquela situação, assim, podendo, mesmo de forma remota, intervir na “ocorrência”.

Como isso afeta uma organização?

Além dos acidentes, prejuízos patrimoniais e, até mesmo, mortes causadas pelo “cochilo” ao volante, a produtividade da organização é drasticamente afetada pela falta de sono dos motoristas e as consequências aparecem em partes do processo.

As entregas perdem a eficiência que normalmente teriam caso os motoristas estivessem “em dia” com o sono, além disso, o próprio atendimento prestado por estes funcionários aos clientes é comprometido, tornando-se, portanto, fator de insatisfação.

Por isso, é importante pensar no sono dos motoristas como um fator estratégico, justamente pela influência que ele pode exercer em várias partes do processo de uma companhia, envolvendo aspectos produtivos, patrimoniais, de atendimento e percepção de falta de qualidade pelos clientes.

Conclusão

Uma noite bem dormida não é somente fator de saúde individual, mas, também, fator produtivo dentro das empresas. Sendo assim, é importante que gestores de frota analisem a rotina de descanso dos motoristas para preverem e evitarem problemas.

Agora que você aprendeu mais sobre a importância do sono dos motoristas de uma frota, aprenda tudo sobre SaaS na gestão de transporte, como funciona, quando aplicar e qual a importância na busca de eficiência.

Recent Posts