Impactos do coronavírus na cadeia de suprimentos

O coronavírus (SARS-COV-2, que causa a Covid 19) está produzindo mudanças drásticas em um importante e estratégico segmento econômico mundial, responsável por alimentar o fluxo de fornecimento: a cadeia de suprimentos. As integrações mundiais, proporcionadas por inúmeras redes de negócio, têm dado alguns sinais de fraqueza.

A cadeia de suprimentos nos Estados Unidos, por exemplo, principalmente de carne, está dando sinais de colapso com o fechamento de instalações, como a unidade do frigorífico brasileiro JBS em Greeley, no Colorado, onde um funcionário de 78 anos morreu por Covid-19.

A Consumer Brands Association (CBA), grupo que reúne as empresas de alimentos dos EUA, fez soar o alarme e na terça-feira, dia 14/04, apelou ao governo para que aja no sentido de garantir que os trabalhadores sejam protegidos e os supermercados continuem a ser abastecidos.

“Os EUA não estão ficando sem produtos. Mas as prateleiras vazias revelam que a cadeia de abastecimento está sob pressão e que o governo e a indústria têm de resolver isso juntos”, afirmou no Twitter o grupo, que representa gigantes como Nestlé e Campbell Soup.

No Brasil, o agravamento da situação pelo avanço da pandemia, tem influenciado negativamente o setor de transportes, que pode entrar em colapso. Em meio à crise atual, o setor tem enfrentado uma série de adversidades que comprometem o trabalho dos profissionais, sobretudo, relacionadas à falta de estrutura.

As transportadoras têm enfrentado dificuldades para continuar a operar, relacionadas, por exemplo, a impossibilidade de aquisição de peças para manutenção, ao fechamento de restaurantes, pontos de apoio para banho, além de dificuldades para resolver questões junto aos Detrans, chegando ao ponto de não conseguirem adquirir materiais de segurança sanitária, tais como álcool em gel e máscaras, o que pode levar ao colapso do sistema.

Diversas associações e sindicatos vem apresentando uma série de propostas para minimizar os efeitos da crise, que já foram levadas aos poderes Executivo e Legislativo. Entre elas está a estruturação de pontos de apoio para os caminhoneiros nas estradas, com locais para banho e alimentação, por exemplo.

Além disso, em meio às dificuldades vivenciadas nas últimas semanas, o aumento da demanda, principalmente, por alguns itens, como gêneros alimentícios e de saúde, tem se destacado, o que demanda maiores estruturas de apoio para que os caminhoneiros possam transitar pela malha rodoviária nacional com alguma condição.

O impacto do Coronavírus na cadeia de suprimentos está ligado principalmente aos efeitos que a doença está gerando na China, com boa parte de sua população em quarentena (iniciando retorno gradativo) e diversas fábricas fechadas ou realocadas para a produção de máscaras de proteção ou respiradores.

A importância da China no cenário econômico mundial cresceu enormemente nos últimos 20 anos. Nesse contexto, grande parte das maiores empresas mundiais dependem, direta ou indiretamente, de produtos chineses.

Adiciona-se à dificuldade natural do momento o fato de que as empresas ainda não possuem sistemas refinados ou alternativos para realizar uma gestão aprofundada e adequada de suas cadeias de suprimento.

A Harvard Business Review tem alertado para essa questão, sugerindo que a dependência do mercado asiático afeta muitas empresas que não tem ideia de quem são os fornecedores de seus fornecedores.

A lógica para os empresários é simples. É preciso evitar que toda a operação seja 100% baseada em apenas um “canto”, seja um país ou mesmo apenas em um fornecedor. Caso esse cuidado não seja tomado, problemas regionais podem pôr em risco toda a cadeia.

Essa realidade demonstra a dificuldade das empresas em criar uma gestão de risco adequada para situações de crises planetárias, como é o caso do surto de coronavírus, especialmente no que concerne ao conhecimento dos fornecedores de matérias-primas, produtos ou insumos estratégicos.

Nesse sentido, é fundamental que as organizações atuem para contornar os atuais problemas e minimizem sua dependência de fornecimento , diversificando fornecedores no intuito de reduzir os riscos de aquisição de um único fornecedor ou país.

Agora que você aprendeu mais sobre os impactos do coronavírus na cadeia de suprimentos, descubra os impactos do coronavírus causados na redução de poluentes ao redor do mundo.

Recent Posts