O que é logística 4.0? Aprenda tudo aqui!

Didaticamente, determinados períodos da história são marcados por palavras e expressões da moda. Todos nós, certamente, poderíamos mencionar algumas dessas palavras. Quem não se lembra da globalização, do aquecimento global e atualmente da sigla ESG – Environmental, Social and Governance (em português, Ambiental, Social e Governança)?

Longe de menosprezar a importância desses “movimentos” para o desenvolvimento social e econômico, é certo que as épocas, também, são marcadas por essas palavras e suas implicações, mesmo que, muitas vezes, as pessoas apenas as repitam sem conhecê-las mais a fundo.

De uns tempos pra cá, a chamada Logística 4.0 tem ganhado os discursos gerenciais por aí. Mas, o que vem a ser a Logística 4.0? É justamente isso que explicaremos no artigo de hoje, além de mostrar, resumidamente, a razão dessa nomenclatura.

Neste artigo, falaremos sobre:

  • O que é logística 4.0?
  • E os movimentos 1, 2 e 3.0?

O que é logística 4.0?

Em um modelo tradicional de indústria, como temos hoje, conhecida como Indústria 4.0 – explicaremos mais adiante sobre isso do ponto de vista histórico – a produção das empresas acontece em grande escala, ocasionando um grande volume de produtos produzidos.

Esse volume de produção implica em uma série de outros processos, como, por exemplo, a existência de grandes estoques para atender prontamente as demandas de consumo, sem correr o risco de haver faltas e insuficiência de fornecimento.

À medida que os sistemas produtivos e as tecnologias avançam, as organizações podem concentrar-se em atender os clientes, cada vez mais exigentes, de forma personalizada, fabricando somente o necessário para suprir o mercado, em um tempo consideravelmente menor.

Para que tal arquitetura obtenha sucesso, é fundamental que toda a cadeia de suprimentos tenha a mesma forma de pensar e mantenha as necessidades alinhadas com os demais agentes (elos) da cadeia. Assim, há otimização na demanda por insumos e produtos acabados, limitando os níveis de estoque, aumentando a performance dos processos e, como consequência, otimizando as entregas.

Consequentemente, as organizações passam a não depender mais de grandes centros de distribuição e toda a cadeia de suprimentos ganha em eficiência, diminuição de prazos, redução de custos e qualidade. É nesse contexto, que surge o conceito de Logística 4.0, derivado da Indústria 4.0, fundamental para que as empresas se tornem mais competitivas.

Mas, qual é o conceito de Logística 4.0?

Logística 4.0 é uma evolução da logística tradicional que tem como pilar principal a realização de investimentos em tecnologias para conseguir atender as demandas de consumo, ao mesmo tempo em que promove o aumento na participação de mercado das empresas.

E os movimentos 1, 2 e 3.0?

Todas as formas históricas e didáticas de logística derivam-se das chamadas Revoluções Industriais. Isso porque todas essas transformações sociais e econômicas moldaram os mercados e setores, transformando o futuro do consumo mundo afora.

Diante disso, é muito comum ouvir e ler o termo “Logística 1.0” em substituição a “Indústria 1.0”, por exemplo. Isso ficará mais claro a partir de agora.

Indústria 1.0

A primeira grande Revolução Industrial, estudada nas escolas até os dias de hoje, aconteceu entre o final do século 18 e início do século 19, na Inglaterra, transformando completamente o mindset e os métodos de produção, sobretudo, pela chegada das máquinas a vapor.

Anteriormente, o processo produtivo era organicamente manual. Com a chegada dos novos componentes fabris citados acima, o processo tornou-se mais ágil, dinâmico e correto, reduzindo falhas humanas.

Além dessa grande mudança, outra grande inovação movimentou o cenário da época: a criação das locomotivas. Esse novo modal de transporte permitiu criar fluxos de distribuição de insumos, movimentação de pessoas e mercadorias completamente inéditos para época, revolucionando todo o período.

Indústria 2.0

Objetivando ampliar a produção em larga escala, nos idos de 1870, muitas mudanças acontecerem, uma delas, foi à criação do telégrafo em 1835, projetado por Samuel Morse.

A função do telégrafo era transmitir mensagens entre grandes distâncias. No século seguinte, foi o principal sistema de comunicação entre longas distâncias. Mas, as transformações não pararam por aí.

Novas fontes e energia e motores a combustão, adentraram a história, propagado pelo surgimento do Fordismo, um novo modelo de gestão cujo foco principal era promover a produção em massa. No contexto do movimento, totalmente disruptivo, surgiram às revolucionárias linhas de montagem transformando o capitalismo.

O novo paradigma de gestão corporativa trouxe ainda as primeiras linhas de produção e montagem automatizadas, revolucionando os mercados em geral da época e dos anos seguintes, sobretudo, da indústria automobilística.

Indústria 3.0

Alguns anos depois, por volta de 1969 inaugura-se a Indústria 3.0. Cumpre destacar que as nomeações numéricas (1.0, 2.0, etc.), são formas criadas pela história para estudar o desenvolvimento industrial e tecnológico da humanidade, sendo que, as pessoas que viviam em tais épocas não sabiam que participavam da Indústria 3.0, por exemplo.

A Indústria 3.0, também conhecida como Terceira Revolução Industrial ou ainda Revolução Técnico cientifica, propôs uma flexibilização na produção de acordo com a demanda. Em virtude disso, departamentos e serviços, como segurança e transporte, por exemplo, passaram a ser terceirizados.

Além disso, com o surgimento da Internet, houve um processo de descentralização industrial, além de técnicas como comunicação e as inovações no setor de transporte terem se desenvolvido mais.

Diante disso, com as mais variadas inovações em relação ao maquinário, à comunicação e ao transporte, as organizações começaram a migrar suas operações para regiões mais vantajosas, onde os insumos eram mais abundantes e a mão de obra, mais barata. Essa transição permitiu a expansão das empresas, tornando-as multinacionais, sendo fundamental para a consolidação da globalização.

Indústria 4.0

Chamada de a Quarta Revolução Industrial, a Indústria 4.0 é marcada por novos e constantes desenvolvimentos de tecnologias, relacionadas à automação e a troca de dados. Essa é a fase industrial atual do mundo, e está completamente relacionada à Logística 4.0.

Outra grande característica desse processo industrial avançando, é a computação em nuvem. Com o surgimento dessa tecnologia, o armazenamento e compartilhamento de dados, além da facilidade de acesso, transformou a forma como as empresas e pessoas fazem negócios.

Tudo isso, agrega mais inteligência aos processos de fabricação do início ao fim, transformando o relacionamento das empresas e o tempo de desenvolvimento de novos produtos e serviços.

Conclusão

A Logística 4.0 revolucionou os mercados, permitiu o avanço das empresas ao redor do mundo, o encurtamento dos ciclos de desenvolvimentos de novos produtos e serviços, além de atender clientes mais exigentes, como mostramos.

Agora que você aprendeu mais sobre a Logística 4.0, descubra tudo sobre como gestores de frota podem se tornar melhores profissionais no desempenho de suas funções.

Recent Posts