Qual a importância dos relatórios de gestão para uma operação de transporte?

Ocasionalmente, quando apresentamos alguma anormalidade em nosso estado de saúde, procuramos um médico capaz de avaliar nossos sintomas e estabelecer um diagnóstico claro relacionado ao quadro apresentado.

Sem demora, ao sairmos do hospital, e após realizarmos os devidos exames, passamos em uma farmácia, comprarmos os medicamentos receitados e, sem demora, iniciamos o tratamento prescrito.

Algum tempo depois, observadas as recomendações passadas pelo médico, constatamos a diminuição das dores e o desaparecimento dos incômodos que sentíamos.

Finalmente curados, voltamos à prática normal de nossas atividades e aumentamos os cuidados com nossa saúde, para não nos vermos na mesma situação novamente.

O exemplo retrata perfeitamente o que acontece em diversas operações de transporte espalhadas pelo mundo, independente de porte e setor de atuação.

Por isso, no artigo de hoje, falaremos da importância dos relatórios gerenciais relacionados à operação de transporte, que tipo de informação eles são capazes de fornecer, qual a importância disso e como as empresas podem utilizá-los estrategicamente.

Para facilitar sua leitura, sumarizamos os temas abordados em tópicos. Assim, além de tornar sua leitura mais fluída, fornecemos uma visão geral dos conteúdos trabalhados neste artigo.

  • Qual a importância dos relatórios para uma operação de transporte?
  • Como ocorre a formação dos relatórios?
  • Quais informações são fornecidas pelos relatórios?
  • Qual a função dos relatórios em uma operação de transporte?

Qual a importância dos relatórios para uma operação de transporte?

Assim como os exames realizados pelo médico, os relatórios apontarão a “saúde” de uma operação de transporte. São eles que mostrarão como anda sua operação, se você está perdendo dinheiro, onde estão as falhas e problemas operacionais.

Sem os relatórios, não é possível averiguar perfeitamente o estado de uma operação de transporte. O máximo que poderá ocorrer, e provavelmente acontecerá, serão as manifestações de sintomas, “dores” e demais irregularidades derivadas de gaps operacionais.

Contudo, se em sua operação não existirem relatórios capazes de clarificar as informações, mostrar parâmetros e dados importantes os problemas só aumentarão e os gastos, da mesma forma.

Mas, para que os relatórios existam é importante equipar os veículos com equipamentos que captem os dados em campo, diretamente da fonte. Do contrário, os relatórios serão bastante limitados ao não incluir dados de usuários, cargas, veículos e do comportamento dos motoristas.

Mas, que equipamentos são esses? É o que vamos mostrar agora!

Como ocorre a formação dos relatórios?

Os relatórios de gestão fornecem informações de diversos níveis, dentro de um mesmo parâmetro, além de serem customizáveis de acordo com a necessidade da operação de transporte.

Mas, como dissemos, para que eles sejam formados, é necessário instalar nos veículos alguns dispositivos, a depender do tipo de informação que se pretende obter, e as funções que se pretende medir.

Para exemplificar o que estamos dizendo, mostraremos como isso ocorre com a telemetria, uma tecnologia muito utilizada para gestão de transporte.

Para saber mais sobre telemetria, clique aqui e leia este artigo completo que escrevemos sobre o assunto!

No caso da telemetria, para que as informações sejam contempladas pelos relatórios é preciso equipar os veículos com dispositivos de medição e detecção, tais como: leitoras de RFID, rastreadores, sensores, etc., que serão responsáveis por captar a informação, interpretá-la e enviá-la à central de transportes.

Ainda, vale destacar que estes serviços normalmente estão vinculados a sistemas informatizados, os famosos softwares de gestão, que além dessa função agregam outras funcionalidades importantes e relevantes para as empresas.

Quais informações são fornecidas pelos relatórios?

Os relatórios cobrem inúmeros parâmetros relacionados ao funcionamento de uma operação de transporte, fornecendo informações precisas para tomada de decisão, subsídios para estudos de potenciais melhorias e instrução de gestores.

As informações fornecidas passam pelos custos da operação, velocidade dos veículos, quantidade de frenagens bruscas, comportamento dos motoristas e usuários, acelerações exageradas, consumo de combustível, dentre outras.

Com isso em mãos, um gestor é capaz de conhecer a fundo sua operação de transporte e, principalmente, tomar decisões conscientes para resolver problemas e aprimorar o nível de serviço.

Qual a função dos relatórios em uma operação de transporte?

Como mostramos no início deste artigo, assim como os exames que vez ou outra realizamos no médico, os relatórios mostram como uma operação de transporte está em termos de eficiência e funcionalidade.

Os relatórios revelam o estado de uma operação logística, mostram importantes detalhes, fornecem conhecimento para tomada de decisão e apontam problemas e situações sensíveis que precisam de resolução.

São eles que apontam as imprecisões em uma operação e fornecem importantes informes aos gestores que definirão a melhor forma para resolver os problemas da operação.

Conclusão

Assim como os exames são fundamentais para que um médico possa diagnosticar corretamente uma doença e prescrever os medicamentos corretos, os relatórios de gestão, oferecidos por softwares, mostram aos gestores de transporte como uma operação está, em termos de “saúde” e eficiência.

Através dos relatórios, os gestores podem tomar decisões visando redimensionar os veículos da frota, reduzir custos, advertir motoristas imprudentes, traçar cenários futuros identificando tendências pela análise do passado e muito mais.

Agora que você aprendeu a importância dos relatórios de gestão para uma operação de transporte, descubra porque a gasolina brasileira custa o que custa. Entenda sua cadeia de distribuição, os preços da commodity em outros países e muito mais!

Recent Posts