Rastreamento para transportadoras: como contratar um bom serviço de rastreamento?

Muitas transportadoras não sabem quais devem ser os parâmetros para tomada de decisão no que diz respeito à contratação de serviços de rastreamento e outras funcionalidades tecnológicas benéficas para uma operação de transporte.

Dada a necessidade cada vez maior pelo aprimoramento da gestão, muitas empresas do setor de transporte, especificamente do segmento de cargas, buscam soluções capazes de aprimorar a gestão de suas atividades e o controle operacional, além de atuarem como mecanismos de proteção dos veículos e dos próprios motoristas.

Além disso, dado o crescimento do roubo de cargas, muitas transportadoras se vêem desprotegidas e motivadas a contratarem serviços de rastreamento, algumas, inclusive, vão além e equipam suas operações com outras importantes tecnologias.

Sendo assim, e diante da falta de informação ou de parâmetros mais seguros que guiem uma assertiva tomada de decisão, no artigo de hoje falaremos sobre princípios que devem ser observados quando da contratação de serviços de rastreamento e outras tecnologias para uma operação que atue com transporte de carga.

Para simplificar sua leitura e fornecer um guia de acesso rápido aos conteúdos do seu interesse, sumarizamos em tópicos os temas que trabalharemos ao longo deste artigo. Assim, esperamos facilitar o processo de aprendizado e o rápido esclarecimento de suas dúvidas.

  • Auditoria em 3 (ou mais) etapas
  • Realizando a auditoria
  • Filtro 1: racionalize
  • Filtro 2: analise o que de fato importa
  • Filtro 3: marque mais de uma reunião
  • Filtro bônus: período de testes

Auditoria em 3 (ou mais) etapas

A melhor e mais segura fonte de informação que você poderá consultar para se informar melhor a respeito de algum fornecedor de serviços de rastreamento, ou qualquer outro serviço, são os clientes que utilizam a solução ou já tiveram a oportunidade de utilizá-la.

Evidentemente que, nesse caso, é sempre bom aplicar um filtro para ver se realmente às informações colhidas fazem sentido, isso em termos de importância, além de averiguar como o fornecedor se relaciona com seus clientes.

Para isso, recomendamos utilizar a auditoria de 3 ou mais etapas que além de simples é um processo rápido e seguro, observadas as etapas que pontuaremos logo mais.

O “método” que passaremos não é exaustivo em si. Trata-se de um guia que direcionará as etapas que você definirá como importantes na sua tomada de decisão, isso, à luz de sua operação e, da mesma forma, de suas necessidades.

Todavia, os princípios que iremos mencionar, certamente poderão lhe auxiliar nessa decisão, direcioná-lo e avaliar a adesão do fornecedor às demandas de sua operação e princípios de negócio.

Realizando a auditoria

Nem sempre os melhores meios para o esclarecimento de dúvidas são os buscadores da internet, como o Google, por exemplo, e mostraremos de uma forma muito clara o porquê de falarmos isso, alias, afirmarmos!

Na hipótese de estarmos sentido uma dor no braço, por exemplo, podemos descobrir, ao buscar informações nestas plataformas, por meio de uma rápida pesquisa, que nosso sintoma pode indicar a existência de uma doença raríssima, quando, na verdade, a raiz do “problema” não passa de uma dor temporal, por termos dormido em cima do referido braço!

Por isso, para que esse processo de auditoria funcione, é necessário aplicar filtros à pesquisa que será realizada. Nada muito complexo, contudo, esses filtros são necessários para obtermos uma informação real e clara sobre o fornecedor pretendido.

Filtro 1: racionalize

Às vezes, é possível encontrar um cliente que não esteja satisfeito com o fornecedor que você está prestes a contratar por um motivo raso, isto é, totalmente irrisório e sem nenhuma aplicação prática.

Talvez, algum cliente esteja insatisfeito com a plataforma de rastreamento que você pretende utilizar em virtude da interface do usuário ter como cor principal a cor verde, mas, o cliente, na realidade, gosta mais da cor azul!

O exemplo, de fato, tem um caráter totalmente infantil, reconhecemos, todavia, existem casos onde o princípio existe, quer dizer, um cliente está reclamando por um motivo que não se justifica em termos operacionais, práticos, de serviço e gestão. Portanto, racionalize!

Filtro 2: analise o que de fato importa

O centro da decisão deve ser sua necessidade versus a oferta do fornecedor, que se resume, basicamente, nos famosos irmãos que todos apreciamos: o custo e o benefício. Para isso, é relevante contatar clientes ativos da empresa.

Acessando o site do fornecedor pretendido, é possível que existam depoimentos ou mesmo o nome (logomarca) dos atuais clientes e também dos que, um dia, utilizaram a solução.

É mais que recomendável consultar essas empresas, colher a opinião dos atuais clientes e, da mesma forma, averiguar com aqueles que não mais utilizam a solução o motivo, se isso for possível, de não mais utilizarem o referido produto.

Analise criticamente aspectos como: suporte, atualizações, funcionalidade do serviço, benefícios experimentados, ajustes de preço, cumprimento das diretrizes pactuadas em contrato e o que mais for relevante para sua operação.

Filtro 3: Marque mais de uma reunião

Ainda que estejamos decididos, dificilmente compramos um automóvel na primeira ida à loja ou a concessionária. Sempre procuramos analisar friamente e comparar as ofertas disponíveis entre si.

Da mesma forma, além de formar uma opinião com a melhor fonte de coleta de dados que são os clientes, aplicando os filtros necessários, marque reuniões com todas as áreas envolvidas na decisão, sobretudo com os tomadores diretos da decisão.

Assim, será possível eximir dúvidas, analisar hipóteses de customização e a viabilidade do serviço, observar a capacidade de atendimento da empresa fornecedora, principalmente quando, além do rastreamento, existem outras ofertas conjugadas de serviço, como roteirização e monitoramento, por exemplo.

A reunião é uma importante etapa, pois, pode acontecer um entendimento bilateral de que sua demanda não poderá ser atendida pela empresa fornecedora e, na relação cliente empresa, honestidade e transparência são princípios muito importantes.

Filtro bônus: período de testes

Muitas empresas ofertam ao cliente um período de testes para que a solução possa ser mais bem avaliada. Normalmente, esse período de teste é curto e, como padrão, adota-se trinta dias corridos.

Além disso, as funcionalidades disponíveis para o período de teste são restritas e focadas somente no necessário para que a experiência seja validada, analisada e a “degustação” seja factível.

Soluções de rastreamento, normalmente, não oferecem esse período de testes. Todavia, se no seu caso a contratação for conjugada a outros serviços, provavelmente haverá a possibilidade de uma experimentação gratuita. Por isso, vale a pena verificar.

Conclusão

As experiências e exemplos de outras pessoas são muito úteis como mecanismo de prevenção de nossa conduta. Na realidade exposta ao longo do artigo, isso quer dizer que é muito útil consultar clientes da fornecedora antes de contratar seus serviços.

Além disso, é fundamental que a decisão de compra seja convergente às suas necessidades e demandas de operação e isso, nem sempre é encontrado pela harmonização entre preço e oferta de benefícios.

Agora que você aprendeu mais sobre princípios importantes para tomada de decisão quando da contratação de serviços para sua operação de transporte, descubra o porquê da existência de pedágios nas rodovias do Brasil.

Recent Posts