O que é taxa de indisponibilidade?

Para avaliar a saúde de uma operação de transporte é fundamental que existam indicadores de desempenho, responsáveis por apontar a realidade operacional em um dado momento.

Os indicadores são fundamentais para acompanhar os resultados, pois são eles que apontam o verdadeiro estado de uma operação. Um exemplo apropriado desta realidade é a chamada taxa de indisponibilidade, popularmente conhecida como TIN.

Diante disso, no artigo de hoje falaremos sobre a taxa de indisponibilidade, mostraremos seu conceito, qual a sua importância e como os gestores de frota a calculam corretamente.

Hoje, abordaremos:

  • O que é taxa de indisponibilidade?
  • Qual a sua importância?
  • Como calcular a taxa de indisponibilidade?

O que é taxa de indisponibilidade?

A taxa de indisponibilidade é o principal índice de manutenção utilizado em operações de frota. Esta é uma ótima medida para identificar o nível de desempenho operacional da frota.

A TIN demonstra a qualidade do serviço de manutenção, a necessidade de utilizar veículos reservas e os reflexos da idade da frota na operação. Além disso, essa taxa contribui diretamente no dimensionamento da frota e na sua necessidade de renovação.

Qual a sua importância?

A taxa de indisponibilidade demonstra a capacidade operacional dos veículos, auxilia os gestores a dimensionarem corretamente a frota e a entenderem os custos relacionados a não utilização de um veículo.

Além disso, a TIN auxilia os gestores a entenderem se existem deficiências no sistema de manutenções, inadequação do veículo à atividade exercida e, principalmente, o impacto financeiro desses acontecimentos no custo total de operação.

Mas, como essa taxa é calculada?

Como calcular a taxa de indisponibilidade?

Para calcular a taxa de indisponibilidade levam-se em consideração duas variáveis e sua relação: o total de horas ociosas de um veículo e o total de horas disponíveis do veículo para prestação de serviço no mesmo período.

Muitos gestores, ao calcularem essa taxa, levam em conta somente o tempo em que determinado veículo ficou parado por motivos de manutenção. Contudo, isso é um erro, uma vez que existem outros motivos que impedem um veículo de operar, como, por exemplo, algum defeito mecânico.

Dessa forma, o primeiro passo para calcular essa taxa é identificar as horas que o veículo permaneceu em atividade. Para facilitar nossos cálculos, consideraremos um veículo que é disponibilizado para serviço 8 horas por dia, durante 22 dias no mês.

Além disso, iremos supor que o mesmo veículo ficou 18 horas parado no mesmo mês. Dessa forma, ao relacionarmos as duas variáveis, temos:

TIN = HRO/ HD, onde:

  • HRO: Horas ociosas
  • HD: Horas disponíveis

TIN = 18/176 x 100 (percentual)

Logo, a taxa de indisponibilidade deste veículo é igual a 10,22%. Mas, o que esse valor tem a nos dizer?

Um veículo que possui TIN igual a 10,22% não está em condições de uso pela porcentagem supracitada de tempo, em um dado período. No nosso exemplo, essa porcentagem reflete a indisponibilidade deste veículo dentro do mês.

Além de criar séries históricas com os valores dessa taxa, é muito importante mantê-la nos menores patamares possíveis. Qual seria o impacto se considerássemos uma frota maior?

Algumas medidas podem ser adotadas para privilegiar o desempenho da frota e evitar que os veículos fiquem parados por longos períodos de tempo. Além de realizar manutenções preventivas é importante renovar a frota, uma vez que quanto mais velho é um veículo, maiores serão as chances de ocorrerem desgastes e o veículo apresentar defeitos.

Conclusão

Manter os veículos de uma frota conservados e com as manutenções em dia é uma medida que pode contribuir profundamente para a redução de custos relacionados a ociosidade da frota.

Agora que você aprendeu mais sobre a taxa de indisponibilidade, descubra mais sobre três filmes sobre logística que você pode assistir para aprender mais sobre a profissão e se divertir um pouco.

Recent Posts