Transporte de carga: como reduzir custos?

Transportar cargas seja por qual modalidade for, isto é, através das rodovias, hidrovias ou por meio de rotas aeronáuticas, sempre foi importante para atender as necessidades das pessoas em qualquer lugar do mundo.

No entanto, se não bastassem as dificuldades naturais, provenientes da logística de cargas, enfrentadas por transportadores autônomos, prestadores de serviço e transportadoras em geral, o aumento dos custos de operação tem acentuado ainda mais os desafios destas empresas.

Com o aumento desenfreado do combustível, o custo com as entregas, coletas e processos de transporte em geral, tem aumentado a cada dia. Se isso não fosse suficiente, as péssimas condições das estradas e o aumento do roubo de cargas têm dificultado ainda mais as atividades das empresas que transportam cargas diariamente.

À luz dessas dificuldades, no artigo de hoje, passaremos dicas, orientações e instruções que ajudarão os transportadores de cargas a reduzirem custo ampliando a geração de receitas.

Para facilitar sua leitura, dividimos este artigo em tópicos. Assim, além de facilitar sua navegação pelo conteúdo é possível ir diretamente para o tópico que mais te interessa, bastando, para isso, descer a página até o ponto de seu interesse.

Os tópicos deste conteúdo são:

  • Transporte de cargas: principais custos
  • Quais custos podem ser reduzidos?
  • Rotas ineficientes / Exemplificação prática
  • Custos com abastecimento: combustível
  • Custos com manutenção de veículos
  • Conclusão

Transporte de cargas: principais custos

Os custos com transporte de cargas são anteriores ao inicio de qualquer operação, ou seja, eles podem ser observados antes mesmo que um caminhão, van ou caminhão baú pequeno transporte qualquer carga.

Falamos isso, pois, antes mesmo de atender algum cliente, a empresa ou transportador precisa ter um caminhão, estar com sua manutenção em dia, com os impostos pagos, com o tanque cheio e, não necessariamente, ter contratado um seguro.

Esse tipo de custo, normalmente, é inflexível, quer dizer, não há muito que fazer para reduzi-lo, dadas as condições normais de uma operação.

Todavia, existem alguns custos dentro do transporte de cargas que influenciam diretamente o potencial de lucratividade das transportadoras e caminhoneiros autônomos que podem ser revistos, reduzidos e controlados.

Quais custos podem ser reduzidos?

Grande parte dos gastos de uma empresa que transporta cargas diz respeito ao uso de veículos. Muito da redução de custo almejada por empresas transportadoras de cargas diz respeito à utilização eficiente desses veículos, e mostraremos como isso ocorre.

O primeiro custo que pode ser revisto com potencial de proporcionar grande redução de custo, são os custos relacionados à composição das rotas de circulação, entrega e coleta de mercadorias em centros de distribuição.

Rotas ineficientes

Normalmente, muitas empresas, transportadores autônomos e terceirizados do mercado de cargas, viajam longas distâncias por todo o território brasileiro para atender seus clientes e suas respectivas necessidades.

Contudo, é comum observarmos que muitas das rotas utilizadas não estão otimizadas, quer dizer, elas não são as menores e mais econômicas distâncias possíveis entre o início da demanda e seu local de destino.

Para ficar claro o que estamos dizendo, vamos exemplificar com uma ilustração muito simples como isso acontece.

Exemplificação prática

O senhor José é dono de uma transportadora e atende um cliente de grande porte do mercado alimentício, além de outros clientes de portes e mercados diferentes, mas, sempre com recorrência.

Toda semana, o senhor José direciona cinco de seus caminhões, que saem da sua própria transportadora, até a planta produtiva desta empresa, carrega seus caminhões com vários alimentos e os transporta até os supermercados centrais que irão comercializá-los.

Esta fabrica fica na cidade de São Paulo, mas, as cargas serão levadas para vários supermercados espalhados por todo o país, em suas respectivas regiões centrais.

Alguns dos supermercados se encontram no próprio estado de São Paulo, outros, porém, estão mais afastados, estando em Minas Gerias, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul e em outras cidades do sudeste brasileiro.

Se o senhor José não utilizar as melhores rotas, isto é, aquelas onde seus caminhões circularão somente o necessário para realizar as entregas, economizando combustível e reduzindo a quilometragem percorrida, sem contar a volta, onde seus caminhões podem estar vazios, certamente seu custo aumentará significativamente.

Mas, o que senhor José pode fazer para criar rotas otimizadas, ideais para transportar suas cargas mantendo o custo ótimo de todo o processo?

Ele pode utilizar a roteirização para criar os melhores itinerários para que seus veículos possam coletar, transportar e entregar mercadorias gastando somente o necessário.

Para saber mais sobre a roteirização e como utilizá-la em sua operação para criar as melhores rotas para transportar cargas, leia este artigo completo que escrevemos!

Custos com abastecimento: combustível

Destacamos, em primeiro lugar, os custos derivados das rotas, pois, eles são responsáveis por inflacionar outros custos relacionados à logística de cargas que podem ser reduzidos.

Os custos com combustível, sobretudo diante dos aumentos constantes que temos experimentado nos últimos tempos em nosso país, podem ser reduzidos mediante a criação de rotas ótimas.

Se um veículo roda somente o necessário para entregar e coletar qualquer mercadoria, ele gastará somente o necessário em litros de combustível, se sua manutenção estiver em dia, para realizar seus deslocamentos.

Mas, muitas transportadoras e autônomas que não utilizam a roteirização para criar rotas têm experimentado justamente o contrário: aumento cada vez maior dos custos de operação.

Custos com manutenção de veículos

Veículos que rodam mais, naturalmente, apresentam maior desgaste do que aqueles que rodam menos. Por mais óbvio que possa ser, mais uma vez, a mudança reside na criação de rotas ideais de transporte.

Veículos que rodam menos, como já vimos, consomem menos. Além do mais, apresentam menor desgaste em relação aos componentes mecânicos, fluídos e mecanismos hidráulicos dos caminhões e veículos utilizados para transportar as cargas.

Não somente isso. O custo com quilometro rodado diminuirá, uma vez que as rotas otimizadas proporcionarão redução de custo em relação à precificação do frete, que se baseia nas despesas com a quilometragem percorrida.

Além do mais, as manutenções também poderão ter seu custo reduzido, sobretudo, em virtude do melhor aproveitamento dos componentes mecânicos dos veículos pela criação das melhores rotas de transporte, entrega e coleta de cargas.

Conclusão

Como destacamos um único problema, a saber, a não otimização das rotas, é responsável por causar outros problemas, porém, todos os problemas que destacamos ao longo do artigo influenciam diretamente o potencial de lucratividade de transportadoras e transportadores de cargas, uma vez que inflam os custos de operação.

Para reduzir os custos com o transporte de cargas, mesmo os transportadores autônomos e as transportadores de pequeno porte, através da reestruturação das rotas e com a criação de uma sólida política de prestação de serviço, podem reduzir drasticamente os custos operacionais.

Assim, mantendo uma estrutura de custos ótima e monitorando-a constantemente, mediante o emprego de algumas tecnologias, será possível frear as despesas aumentando o potencial de lucratividade, uma vez que as receitas serão alocadas em menor proporção aos gastos processuais normalmente observados.

Agora que você aprendeu mais a respeito da redução de custos em relação ao transporte de cargas, e como isso pode melhorar seus lucros, descubra tudo a respeito da recente greve dos caminhoneiros, porque começou, quais foram as reivindicações dos grevistas, como o governo reagiu a tudo isso e o que mais aconteceu.

Recent Posts